Nos siga nas redes sociais

Consoles RETRÔ e o Mercado da NOSTALGIA

Resumo do post pra quem não tá com paciência de ler tudo:

Consoles retrôs são tendência do mercado, no Brasil o preço é um absurdo, falo um pouco das minhas ideias de streaming de jogos retro de forma oficial e que é mais barato comprar um Raspberry PI que roda todos os retro console do que pagar 800 reais pra rodar uns 30 jogos no Snes Classic Edition.

——–>Fim do Resumo

Ahhh! Aquele sentimento da tela de entrada do Super Mario World sempre me faz bem, não pelos gráficos serem ótimos mas por me trazer o sentimento da criança que eu era quando eu inocentemente colocava o cartucho no Super Nintendo (“as vezes soprava pra funcionar”) e tinha que zerar ali na hora, porque minha fita não salvava por algum motivo. Minha única preocupação era não deixar meu pai pegar o Cinder no Killer Instinct porque esse boneco era roubado demais. Jogar Sunset Riders com meu primo até zerar mais uma vez de novo e de novo.

Crt Television With Connected Rca Cables

Eu sempre vejo isso se repetindo no mercado em geral, os sentimentos mais fortes das pessoas são raiva e alegria, exatamente nessa ordem, e é possível vender coisas utilizando gatilhos que te façam experimentar isso. A nostalgia faz parte das subcategorias da alegria, ela te faz relembrar sensações boas de uma época tão distante, em que você agora reconhece que era totalmente feliz, com suas despreocupações e só se importava em jogar o sábado inteiro se sua mãe não implicasse dizendo que o vídeo game iria estragar a TV.

A Nintendo  é mestre em vender coisas antigas com pequenas adaptações visuais que mexem exatamente com aquele sentimento de nostalgia. Pokémon é sucesso até hoje, Mario tem mais franquias do que qualquer um, foi de médico sem graduação em medicina até tenista profissional, tem vezes que salva umas princesas por aí, e ainda tem The Legend of Zelda que possui mais linhas temporais que o Flash Barry Allen chapado de energético voltando no tempo para tapar furo de roteiro.

the legend of zelda link GIF

Tudo bem, agora eu vou direto ao ponto e parar de enrolar, as empresas viram o mercado  lucrativo que a Nintendo já conhecia faz tempo, produzir consoles com hardware extremamente barato e com jogos lançados a décadas atrás dá dinheiro e muito recentemente a Sony “supostamente” entrou nessa também e está produzindo seu “Novo Antigo PlayStation 1 Classic Edition Sei Lá Das Quantas“, que como sempre é um console que não roda cd por causa do tamanho menor e tem seus jogos pré-gravados  selecionados a dedo, mas será que vale a pena comprar o novo antigo console da Sony que ainda nem lançou ou o SNES classic travado com apenas os jogos que a Nintendo quer?

Eu particularmente acho melhor encomendar praticamente a mesma coisa no Mercado Livre com Raspberry PI só que podendo rodar “TODOS” os jogos de PS1 que você encontra rom na net e além disso poder rodar outros consoles dentro dele tipo NES, GBA, SNES e N64.

Então meus amigos, muitas pessoas vão dizer que é melhor comprar o Oficial da Nintendo pelo ato de colecionar algo original, mas vamos falar sério, o hardware que roda dentro dos “Originais” não se diferencia muito das placas “Pau pra toda obra” mais conhecidas como Raspberry PI, uma plaquinha do tamanho de um cartão de crédito que tem 10 vezes mais poder de processamento que seu PC de 2008 que só rodava Habbo Hotel em slide de 5fps, e ainda tem software pronto e traduzido com todos os emuladores, basta pegar e plugar no HDMI da sua TV, pegar um controle USB ou bluetooth e jogar tranquilamente seu Castlevania: Symphony of the Night.

raspberry pi GIF

O “Super Nintendo” relançado pela Nintendo são basicamente isso, uma placa facilmente hackeável que tem jogos pré-gravados de SNES mas que se você for um(a) garoto(a) dos compiuters você consegue “destravar” e jogar outros jogos do mesmo console, eles são baratos nos Estados Unidos custando uns $80 dólares e em qualquer outro país que não seja o Brasil é barato também, mas no Brasil o console chega a custar em média 800 reais em “lojas oficiais”.  Eu vou repetir, 800 FUCKING REAIS, com uns 400 você pega uma réplica não oficial que roda SNES.

O meu ponto é o seguinte, essas empresas talvez ainda não enxergaram o que precisam, elas precisam pegar esses jogos e disponibilizar em uma biblioteca de assinantes como uma Netflix de jogos retrô por uma assinatura baixa. Talvez a Nintendo esteja caminhando para isso, ouvi rumores que ela está deixando alguns jogos antigos como Metroid serem jogados ao assinar o Pass deles pro Switch, o que é excelente.

Agora só falta a Sony enxergar que não só de exclusivos se vive o homem mas também dos clássicos de PS1 e PS2 que deveriam ter uma biblioteca online, eu aposto minha dignidade de que muitas pessoas assinariam pra jogar Tony Hawk quando ficarem entediados com Fortnite, ou aquele San Andreas só pra zuar.

Gta Appear GIF

Agora é a hora de eu mostrar como você pode ter seu próprio Console Retrô que realmente vale a pena, e você pode até escolher a aparência dele, se quiser um que parece o PS1 e que roda SNES com gosto de Tamarindo ou uma Carcaça de mini  N64 que roda SNES e PS1 com gosto de limão. Não fez sentido nenhum, mas quem pegou a referência pegou, quem não pegou não faz diferença na humanidade.

Vá ao Google e procure por Raspbery Pi + os consoles que você quer rodar, ou você tenta comprar um pronto, se quiser você pode compra uma case clássica de nintendinho ou de ps1 ou de qualquer outro separada ou junto, você que sabe. Segue link aew pra quem quiser economizar segundos LINK

 

Tava achando que eu ia te dar os links e facilitar sua vida? O mundo não é  um grande arco-íris não, é um lugar sujo é um lugar cruel que não quer saber o quanto você é durão, vai te botar de joelhos sem link e você não vai achar nada se não for procurar.

Esse post, pode virar uma série com mais informações de como montar seu retrô vídeo game especial, apesar de ter vários por aí, eu acho que sou melhor que os outros e vou fazer mesmo assim hahhahaha. Na real eu vou entrar em contato com os caras que entendem do assunto pra trazer esse conteúdo mais mastigado pra vocês, mas para isso você precisa compartilhar esse post ou deixar um comentário aqui ou na página do facebook pra eu saber que vocês realmente querem, enquanto isso eu vou ler muito sobre o assunto e virar PHD em Raspberry PI.

kids reading GIF by Cheezburger

Até a próxima e não esqueça de apertar no sininho do site para receber notificação quando lançarmos coisas novas, vejo vocês mais tarde no próximo post e até mais.

 

 

 

 

 

 

 

Nos ajude a espalhar o descontrole!

podcast

#6 – Entrevista com Vem Noobar Comigo

É isso mesmo! Nossos casters de elite estão aqui para conversar com a dona do canal Vem Noobar Comigo, falando sobre seu canal no YouTube, seus passos como desenvolvedora e muito mais!

Esse episódio, foi realmente fora da curva, onde foram vistos vários pontos de qual foi a experiência da Viih no mundo dos games, e ainda dando dicas de como manter um canal no YouTube, quais foram seus jogos e sua caminhada na criação de conteúdos.

Acesse o canal da Viih no YouTube clicando aqui

Quer apoiar a Viih? Acesse o PicPay dela clicando aqui

Canal da Viih na Twitch acesse aqui

Nos ajude a espalhar o descontrole!
Continue Lendo

Parceiros

Nos ajude a espalhar o descontrole!
Continue Lendo

podcast

#5 Apelido pra mais de metro

Neste episódio, estamos passando os limites razoáveis, e nossos casters de elite estão dividindo com vocês, quais eram os apelidos que eles recebiam, e inventavam para seus arquirrivais, e todos nós sabemos, como pré-adolescentes podiam ser nefastos, na arte de insultar, e claro, que muitos desses apelidos alguns levam pra toda vida, como cabeção da malhação que foi inspiração para muitos cabeções por esse “brasilzão” a fora.

Muitos dizem, que antigamente era a melhor época para se crescer. Muitos homens e mulheres foram formados, na pressão do bullying, ou no carinho amigável de apelidos, que poderiam ser usados para ressaltar uma característica sua positiva, ou muitas vezes, negativa. Quem nunca foi chamado de tampinha, ou para os mais altos, como “boneco de olinda”. Se tivesse um nariz um pouco mais avantajado, ja era chamado de pinóquio, ou era acusado de roubar todo oxigênio da sala.

Gostaria de deixar claro que nomes, idades e qualquer informação foram alteradas, e este episódio não é pra ser levado a sério, apenas um podcast sobre apelidos, e experiências com fim de comédia.

Caso tenha se sentido ofendido por qualquer palavra dita, pau no seu … ops, aháá te peguei, ainda ta lendo isso? É sério? Tá, você ganhou, você realmente é um leitor de primeira, mas vê se volta logo a ouvir o episódio, e se quiser dar uma opinião, e xingar muito no twitter, é só nos marcar no @castsemcontrole . Nosso facebook é @semcontrolecast

Quem diria que falar sobre apelidos renderia tantos minutos assim? Realmente essa galera precisa de terapia.

Nos ajude a espalhar o descontrole!
Continue Lendo

Em Alta

Todos os Direitos Reservados © 2021 SemControleCast