Nos siga nas redes sociais

Review Detroit Become Human (exclusivo PS4)

Ahhh!  O que dizer desse jogo que mal lançou e já considero pakas? Depois de uma introdução que apenas usuários do finado Orkut entenderam eu agora começo com a análise/review de Detroit Become Human.

Pra começar, é exclusivo do PS4 produzido pela Quantic Dream, que produziu Heavy Rain e agora nos traz essa delícia de jogo. Vamos começar falando da sinopse do game:

Resultado de imagem para detroit become human 2018

 “Detroit Become Human se passa no futuro ano de 2038, onde Androides estão ocupando muitas funções na sociedade, o que causa problemas com humanos que perderam seus empregos e repudiam eles e assim androides sofrem represaria. O jogador controla 3 androides, com 3 histórias separadas inicialmente, mas que podem ou não se interligar no futuro e uma tem impacto na outra de várias formas dependendo de suas escolhas.”

É um jogo para quem curte Story Game, naqueles estilos de The Walking Dead para celular onde você controla decisões, ações que comprometem seu futuro de várias formas. Se você não curte muito história, e só gosta mesmo de apertar quadrado freneticamente enquanto o Clayton mata deuses, eu acredito que esse jogo não seja para você.

Resultado de imagem para detroit become human 2018

 A trilha sonora é incrível, muito bem encaixada, a dublagem está excelente e isso foi muito importante porque o que a Quantic Dream vende não é bem um jogo apenas, mas sim um conjunto de experiências emocionais de amor, ódio, caráter, compaixão, empatia, dentre outros valores que o jogador coloca a prova e sente o peso no jogo inteiro. Durante a jogatina, eu mesmo suei pelos olhos algumas vezes enquanto tomava as decisões de Kara.

Falando de Kara, vamos explicar o contexto dos personagens do jogo:

Imagem relacionadaKara: Uma androide serviçal doméstica, nos primeiros instantes de gameplay nós recebemos as informações que Kara tinha sido danificada e resetada perdendo todas as memórias, seu dono a busca no concerto e a leva para casa. Percebe-se que o dono humano é desequilibrado e pode ser um risco potencial, a decisão daqui em diante é sua.

Resultado de imagem para markus detroit become human 2018

Markus: Android serviçal doméstico também, auxilia um humano idoso cadeirante nos afazeres do seu dia a dia, o humano idoso trata Markus como um humano, apesar de ter um filho verdadeiro que pode complicar as coisas. Você decide como vai lidar com as adversidades daqui em diante.

Resultado de imagem para connor detroit become human 2018

Connor: Android investigador, caçador de androides divergentes rebeldes, enviado pela Cyberlife sendo de última geração, ele acompanha um investigador humano, bêbado na maioria das vezes e que odeia androides. Ambos investigam casos de divergentes na cidade, tentando achar pontos de conexão para acabar com essa crise dos androides.

Agora que você sabe dos protagonistas, deixa eu explicar que Divergentes são androides que de alguma forma conseguem romper as barreiras da programação e assim conseguem desobedecer ordens humanas, além de poder “sentir emoções” ou emular elas, além de ter um certo senso de consciência e integridade e até temem a morte ou “desligamento” definitivo. Cyberlife que citei antes é a empresa que desenvolve e vende os androides.

detroit GIF

 Pontos positivos:

Sabe quando você fica gritando com a TV, xingando os protagonistas de filmes pelas escolhas estúpidas? Então, agora você pode realmente fazer algo de útil e interagir na história, utilizando a sua bússola moral “ou não”. Posso dizer com todas as letras que o gráfico no console é muito lindo, tudo casa muito bem, a ambientação, trilha sonora, situações e enredos te fazem realmente sentir o peso e realmente se questionar dos seus pontos. É  um dos poucos jogos que qualquer um pode jogar mas que mesmo assim te faz pensar.

 

Pontos Negativos:

Esse tipo de gameplay pode não agradar a todos, como disse antes, existe ação em Detroit Become Human mas a maior parte da gameplay é apertar sequências de botões simples, o trunfo do jogo são as decisões e o enredo e não quantos inimigos você consegue derrotar com um quadrado pressionado.

 

 

Considerações finais:

É um excelente jogo, eu recomendo muito pela experiência que proporciona, é uma experiência única e muito diferente de ver, porém, o preço pode afastar algumas pessoas, no momento que estou escrevendo o jogo custa entre R$94 e R$175 reais. Se você ainda não tem certeza se quer comprar, experimente ver a gameplay abaixo da série do BRKSEDU. Mas cuidado com spoilers.

 

 

 

Nos ajude a espalhar o descontrole!

podcast

#6 – Entrevista com Vem Noobar Comigo

É isso mesmo! Nossos casters de elite estão aqui para conversar com a dona do canal Vem Noobar Comigo, falando sobre seu canal no YouTube, seus passos como desenvolvedora e muito mais!

Esse episódio, foi realmente fora da curva, onde foram vistos vários pontos de qual foi a experiência da Viih no mundo dos games, e ainda dando dicas de como manter um canal no YouTube, quais foram seus jogos e sua caminhada na criação de conteúdos.

Acesse o canal da Viih no YouTube clicando aqui

Quer apoiar a Viih? Acesse o PicPay dela clicando aqui

Canal da Viih na Twitch acesse aqui

Nos ajude a espalhar o descontrole!
Continue Lendo

Parceiros

Nos ajude a espalhar o descontrole!
Continue Lendo

podcast

#5 Apelido pra mais de metro

Neste episódio, estamos passando os limites razoáveis, e nossos casters de elite estão dividindo com vocês, quais eram os apelidos que eles recebiam, e inventavam para seus arquirrivais, e todos nós sabemos, como pré-adolescentes podiam ser nefastos, na arte de insultar, e claro, que muitos desses apelidos alguns levam pra toda vida, como cabeção da malhação que foi inspiração para muitos cabeções por esse “brasilzão” a fora.

Muitos dizem, que antigamente era a melhor época para se crescer. Muitos homens e mulheres foram formados, na pressão do bullying, ou no carinho amigável de apelidos, que poderiam ser usados para ressaltar uma característica sua positiva, ou muitas vezes, negativa. Quem nunca foi chamado de tampinha, ou para os mais altos, como “boneco de olinda”. Se tivesse um nariz um pouco mais avantajado, ja era chamado de pinóquio, ou era acusado de roubar todo oxigênio da sala.

Gostaria de deixar claro que nomes, idades e qualquer informação foram alteradas, e este episódio não é pra ser levado a sério, apenas um podcast sobre apelidos, e experiências com fim de comédia.

Caso tenha se sentido ofendido por qualquer palavra dita, pau no seu … ops, aháá te peguei, ainda ta lendo isso? É sério? Tá, você ganhou, você realmente é um leitor de primeira, mas vê se volta logo a ouvir o episódio, e se quiser dar uma opinião, e xingar muito no twitter, é só nos marcar no @castsemcontrole . Nosso facebook é @semcontrolecast

Quem diria que falar sobre apelidos renderia tantos minutos assim? Realmente essa galera precisa de terapia.

Nos ajude a espalhar o descontrole!
Continue Lendo

Em Alta

Todos os Direitos Reservados © 2021 SemControleCast